Você sabia que a lavagem intestinal vem sendo um instrumento eficaz de terapia que é comprovada há milhares de anos? Em locais como Egito Antigo, Grécia Antiga, Índia e outros já utilizavam esse tratamento. Até mesmo a medicina ocidental já usou bastante, mas depois quando chegou a era dos remédios químicos, a lavagem intestinal acabou sendo completamente abandonada. Atualmente, médicos a utilizam apenas para o preparo intestinal (exames e cirurgias). No entanto, com tantas facilidades tecnológicas, o método acabou sendo resgatado nas últimas décadas, isso fez com que ele virasse um grande sucesso quando o assunto é abordar inúmeras doenças, além de lograr progressiva aceitação entre pacientes e profissionais de saúde.

Quem precisa de hidrocolonterapia?

Hoje em dia, muitas pessoas sofrem de disbiose, que nada mais é do que um desequilíbrio na relação normal entre a flora intestinal e o paciente. Graças a comida desnaturada e esterilizada, hábitos de vida inadequados, má nutrição, poluição, abuso de medicamentos e de tóxicos, o equilíbrio entre microrganismos e o ser humano é perdido. Aqui, passam a preponderar bactérias intestinais que acabam provocando doenças, isso em detrimento da flora normal. A capacidade de defesa do nosso organismo é prejudicada, isso porque cerca de 80% do sistema imunológico está localizado nas paredes dos intestinos delgado e grosso.

Acumulado nos intestinos, o material tóxico não é eliminado e ao invés disso, ele passa a ser reabsorvido, isso faz com que uma auto-intoxicação seja produzida em nosso organismo. O crescimento de fungos e bactérias acabam gerando processos de decomposição do material fecal e assim, libera substâncias tóxicas, sendo que muitas delas são voláteis, passando imediatamente para o nosso sangue, podendo ser percebidas pelo hálito da pessoa. Esse processo de auto-intoxicação é responsável direto pela sobrecarga de todo o nosso organismo, principalmente do fígado e do sistema linfático abdominal, isso faz com que haja o aparecimento de várias doenças, acelerando ainda o processo de envelhecimento.

Atribuídos à auto intoxicação e também ao mau funcionamento do intestino, alguns sintomas acabam surgindo, como depressão, fadiga, falta de concentração, agressividade, perda de vitalidade, envelhecimento precoce e medo excessivo. Doenças inflamatórias, infecciosas, reumáticas, articulares e musculares, de pele (como psoríase, acne, pigmentação), enxaquecas, alergias, hipertensão artéria, entre outras, sendo que também podem ser atribuídas à auto-intoxicação e consideradas assim, indicadas para a hidrocolonterapia.

Efeitos da hidrocolonterapia

Promovendo uma limpeza mecânica no intestino, a hidrocolonterapia retira as fezes acumuladas, além das incrustações das vilosidades intestinais.

Ela revitaliza os nossos intestinos, devolvendo a eles o ritmo e o tônus, isso faz com que a constipação intestinal seja prevenida e/ou tratada, além das doenças degenerativas do intestino, como pólipos, câncer e divertículos.

A hidrocolonterapia desintoxica os intestinos, e por causa da recuperação da permeabilidade da mucosa, facilita também a drenagem do fígado e das vias biliares, dos órgãos pélvicos e do sistema linfático.

Ela ainda constitui uma peça fundamental em programas de prevenção, de anti-aging (envelhecimento e de revitalização.

Aqui na Saúde com Ozônio, além de contar com tratamentos da hidrocolonterapia, você ainda pode garantir sua ozonioterapia. Confira!

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *