Telefone: (11) 2247-9516
WhatsApp (11) 9 4217-9658
Saúde em geral

Candidíase: como o tratamento ortomolecular pode te ajudar?

Muitas mulheres conhecem bem a coceira e o corrimento vaginal, problemas comuns entre o público feminino. Porém, muitas desconhecem a eficácia do tratamento ortomolecular para candidíase.

Isso porque a alimentação está diretamente associada ao fortalecimento do sistema imunológico e o controle da microbiota da região íntima, que em desequilíbrio ajudam na proliferação de fungos.

Para entender melhor como é o tratamento ortomolecular para candidíase e como a alimentação é importante para o processo, acompanhe a leitura deste artigo.

Como o tratamento ortomolecular para candidíase funciona?

Alguns dos sintomas mais comuns da doença são coceira, corrimento e dor na região íntima, muito mais frequentes em períodos quentes como o verão.

O problema é algo comum, mas caso aconteça de maneira periódica ou em intervalos curtos, o tratamento ortomolecular para candidíase pode ser decisivo no tratamento.

A infestação é provocada por fungos, que assim como bactérias, estão presentes no nosso corpo. Contudo, quando há algum desequilíbrio na quantidade de microorganismos ou problemas no sistema imunológico, as infecções se repetem com mais frequência.

Por isso, a alimentação é crucial no tratamento da doença, pois alguns alimentos facilitam o crescimento dos fungos. Em casos de crises, por exemplo, os alimentos fermentados devem ser evitados, como o açúcar, laticínios e álcool.

Assim, o tratamento ortomolecular para candidíase consiste em reforçar os alimentos que proporcionem a distribuição adequada de nutrientes e diminuir aqueles que agem no efeito oposto.

Outras características que contribuem para o aparecimento dos sintomas da doença são o estresse, a tensão e a ansiedade, sendo o tratamento ortomolecular para candidíase importante por conta da alimentação ser um diferencial para o controle desses sintomas.

Para isso, a nutrição ortomolecular tem por objetivo repor nutrientes indispensáveis ao sistema imunológico, como o zinco, o selênio e o cobre, por exemplo. Mas além disso, também utiliza lactobacilos para equilibrar a microflora vaginal.

O tratamento ortomolecular para candidíase também deve considerar as intolerâncias alimentares, tornando o processo individualizado, já que cada organismo reage de uma maneira.

Portanto, essa reposição de minerais também se utiliza de uma técnica chamada de imunoterapia ativada, que melhoram as defesas do organismo e potencializam o resultado do tratamento.

Como identificar sintomas de candidíase?

As infecções causadas pelos fungos resultam em dor, corrimento e coceira na região íntima das mulheres, o que é um problema muito recorrente entre o público feminino. Por isso, saber identificar os sintomas pode ajudar a prevenir a candidíase por repetição.

O primeiro ponto que precisamos entender é que a candida é um fungo que existe no organismo das mulheres naturalmente, mas em quantidades equilibradas da flora vaginal.

Contudo, quando a flora está em desequilíbrio, a doença aparece com o aumento geralmente do fungo candida albicans, e pode ser transmitida durante a relação sexual, mesmo não sendo um IST.

Portanto, se você desconfiar que pode estar com a doença, fique atento aos seguintes sintomas:

  • Coceira na região vaginal;
  • Corrimento esbranquiçado;
  • Dor ou ardência ao urinar ou durante a relação sexual;

O que pode estar causando sua candidíase?

As causas da candidíase podem ser distintas, por isso, procurar um ginecologista é a maneira mais correta para identificar um tratamento mais adequado.

Entre elas as mais comuns são:

  • Sistema imunológico debilitado;
  • Altos níveis de estresse;
  • Período menstrual;
  • Gravidez;
  • Roupas íntimas úmidas ou molhadas;
  • Relação sexual desprotegida;
  • Tratamento com antibióticos;
  • Utilização de hormônios, como o anticoncepcional;
  • Alimentação rica em açúcares.

Assim, o profissional irá identificar a produção do fungo no organismo e os hábitos do paciente em relação a alimentação e uso de medicamentos. É aí que o tratamento ortomolecular para candidíase passa a ser uma ferramenta importante.

Fora da região íntima

Mesmo sendo muito comum na vagina, o fungo pode manifestar a candidíase em outras regiões, caso estas ofereçam o ambiente ideal para a sua proliferação.

Por isso, a candidíase tem alguns nomes para identificar essas regiões:

  • Candidíase oral: aparece na região da boca, conhecido como sapinho, que podem causar aftas, dor ao engolir e manchas brancas na língua;
  • Esofágica ou esofagite: comum em pessoas com o vírus da AIDS, causando dor ao engolir, perda de apetite, náuseas, vômitos e dor abdominal;
  • Na pele ou intertrigo: geralmente aparecem nas dobras da pele, causando coceira e queimação nas axilas, coxas e abdômen;
  • Disseminada: esse caso é mais comum em pessoas que utilizam tratamentos quimioterápicos, causando dor de cabeça, vômitos, febre e inflamação nas articulações.

Homens também podem desenvolver

Apesar de mais comum nas mulheres, o fundo também está presente no organismo dos homens, e pode manifestar a doença em algumas regiões, como:

  • Fissuras na pele da região íntima;
  • Pele do prepúcio dolorida ou rachada;
  • Placa branca;
  • Vermelhidão e bolinhas na genitália.

Contudo, para ambos os sexos a imunidade enfraquecida, a alimentação desequilibrada e o estresse facilitam a reprodução do fungo, associados também à má higiene da região íntima.

Atenção para a alimentação

Quando falamos do tratamento ortomolecular para candidíase, a alimentação é crucial para prevenir e auxiliar na melhora do quadro

Isso porque o diagnóstico clínico deve levar em consideração os hábitos alimentares dos pacientes, que estão associados ao tratamento à medida que ajudam a combater o avanço da doença e a evitar novas crises.

Pessoas que se alimentam de maneira inadequada e sem o consumo equilibrado de vitaminas e minerais estão mais suscetíveis à candidíase, já que esses nutrientes interferem na imunidade.

Isso quer dizer que durante um quadro de repetição, é preciso fortalecer o sistema imunológico para que o corpo consiga controlar o desequilíbrio e reduzir a proliferação do fungo.

Por isso, alimentos como os açúcares, café e fermentados devem ser utilizados com cautela, pois contribuem para o desequilíbrio da microbiota e favorecem o crescimento fúngico.

Em contrapartida, alimentos que são fontes de zinco, selênio e vitaminas A, B1, C e E devem fazer parte da dieta e podem ser encontrados nos grãos integrais, óleos vegetais, batatas, legumes, vegetais com folhas verdes escuras e frutas cítricas.

Essas substâncias auxiliam no fortalecimento do sistema imunológico, desencadeando diversos processos do organismo que protegem o corpo dos desequilíbrios e agentes externos.

Reposição da flora para combater inflamações

Como existem casos em que a doença se repete com frequência, o tratamento ortomolecular para candidíase também inclui a utilização de probióticos, tanto por meio dos alimentos quanto pela suplementação oral.

Nesse caso, são utilizadas algumas bebidas fermentadas como o iogurte, leites fermentados, kefir e kombucha, que ajudam a restabelecer o equilíbrio da microbiota.

Contudo, além deles também são utilizados alimentos que possuem ação anti-inflamatória como o ômega 3, que é um ácido graxo poli-insaturado que contribui para a imunidade e o combate a inflamações.

Esta substância pode ser encontrada nos peixes de águas frias e profundas, como o salmão e atum, ou em fontes vegetais, como a linhaça e a chia. Mas além deles, o alho e o própolis também possuem ação anti-inflamatória.

No caso das crises muito frequentes, o tratamento ortomolecular para candidíase também pode prevenir a doença com o uso do oxicoco, conhecido pelas cápsulas de cranberry, que auxiliam na suplementação da alimentação

Isso porque possui uma substância chamada proantocianidina, que controla rapidamente o fungo causador da doença, descolando e impedindo a adesão dele nas placas de microrganismos do trato genitourinário.

Por fim, as alterações de uma dieta do tratamento ortomolecular para candidíase devem ser mantidas por 2 meses, já que o ciclo natural da candida albicans é de 4 dias.

Por isso, aliado às cápsulas de cranberry, é recomendável seguir um tratamento que pode incluir medicamentos antifúngicos e cremes vaginais, muitos de dose única utilizados mensalmente.

Contudo, lembre-se de buscar sempre o tratamento médico especializado, que deve considerar as peculiaridades do seu organismo e traçar o melhor plano de ação.

Tratamentos naturais para aliviar sintomas

Além do tratamento ortomolecular para candidíase, algumas soluções caseiras também podem ser utilizadas, como cápsulas de alho, iogurte e banhos de assento com ervas e outros produtos.

Para que você entenda um pouco mais sobre o que costuma ser utilizado, separamos dois banhos de assento diferentes que podem aliviar os sintomas mais comuns. São eles:

Banho de assento com chá de camomila

O primeiro deles é feito com uma erva muito utilizada como chá, capaz de melhorar o sintoma da coceira e irritação na pele.

Isso acontece porque a camomila tem ação calmante e anti-inflamatória. Contudo, é importante lembrar que a erva é utilizada para combater os sintomas, não a doença. O banho de assento, portanto, ameniza os desconfortos antes de procurar ajuda médica.

Banho de assento com bicarbonato de sódio

O outro banho de assento é feito com o bicarbonato de sódio, que diminui o prurido vaginal e melhora o pH vaginal, que naturalmente é ácido e pode sofrer queda com a alimentação inadequada e baixa imunidade.

Porém, assim como o banho de assento com o camomila, o bicarbonato de sódio não é um tratamento, mas uma maneira de aliviar os sintomas antes de ir ao médico.

Alimentação e sistema imunológico fortalecidos

Antes de qualquer coisa, o tratamento ortomolecular para candidíase tem como objetivo equilibrar a microbiota para controlar a produção e reprodução dos fungos e outros microorganismos.

Dessa forma, um dos objetivos também é fortalecer o sistema imunológico para que o corpo consiga naturalmente combater e controlar a quantidade de fungos no organismo.

Porém, realizar um acompanhamento médico especializado é a melhor maneira de identificar o problema e traçar um plano de tratamento que impeça a doença de se repetir.

Gostou do conteúdo? Acompanhe as atualizações do blog Saúde com Ozônio e visite o site Detox Dr. Ozônio3 para mais materiais interessantes como este.

Comentários

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *