Telefone: (11) 2247-9516
WhatsApp (11) 9 4217-9658
Ozônio, Ozonioterapia, Saúde em geral

O que é e como funciona a Nutrição Ortomolecular

Para que o nosso corpo funcione corretamente, precisamos ingerir proteínas, vitaminas, minerais e outras substâncias que equilibram as funções do organismo. É exatamente nesse contexto que a Nutrição Ortomolecular é apresentada.

Com uma dieta balanceada e diversa, o corpo recebe todos os nutrientes que precisa para ter energia e até mesmo se proteger.

Sendo assim, a nutrição ortomolecular é uma maneira de prevenir e tratar doenças descrevendo as quantidades necessárias de nutrientes que o corpo necessita.

O que é Nutrição Ortomolecular?

O ano é 1949, momento em que o doutor em química Linus Pauling anunciou a descoberta da causa da anemia falciforme.

Essa doença foi descrita como de ordem molecular, mas somente cerca de quase 20 anos depois que o mesmo autor publicou um importante artigo na revista Science sobre esse campo da medicina.

O artigo “Psiquiatria Ortomolecular” foi o responsável por comprovar que existe uma relação direta entre o equilíbrio do organismo e a ingestão de alimentos.

Com isso, a nutrição ortomolecular se apresenta como uma maneira de proporcionar ao corpo as quantidades necessárias de componentes naturais.

Ela é baseada no equilíbrio de substâncias naturais, como vitaminas e minerais, além de ser realizada de forma individualizada.

Alguns exemplos de tratamentos muito comuns são a prevenção de bócio com a substância iodo e a injeção de insulina para diabetes.

Quais os benefícios da nutrição ortomolecular?

Diante de tamanha importância que a ingestão de alimentos possui para a nossa saúde, certamente a nutrição ortomolecular possui muitos benefícios. Ao equilibrar a nossa dieta alimentícia, é possível tratar diversos distúrbios, além de retardar o envelhecimento.

Inúmeras pessoas procuram a nutrição ortomolecular com diferentes finalidades. Algumas delas são:

  • Retardar o envelhecimento precoce;
  • Combater a fadiga crônica;
  • Perder peso;
  • Auxiliar na menopausa e andropausa;
  • Ajudar na concentração e memória;
  • Reduzir a insônia.

Essa diversidade existe porque o princípio da dieta é fortalecer o corpo para combater qualquer tipo de patologia e ainda ajudar na prevenção delas.

Muitas doenças possuem caráter progressivo, sendo possível retardá-las com uma alimentação balanceada e a quantidade de nutrientes correta.

Além disso, é uma terapia não invasiva, que pode ser uma importante aliada a outros tratamentos de saúde.

Equilíbrio do corpo e da mente

Com uma dieta equilibrada e diversa, é possível não apenas cuidar da saúde física, mas também de muitos sintomas agregados.

Algumas enfermidades prejudicam a absorção de alguns nutrientes ou provocam sintomas como insônia, cansaço e até mesmo ganho de peso.

Em contrapartida, com a nutrição ortomolecular é possível melhorar os sintomas de falta de energia, dificuldades com o emagrecimento e prevenção de doenças.

Isso acontece porque o organismo se mantém forte e equilibrado, contribuindo também para o bem estar emocional.

Esse equilíbrio também traz muitos outros benefícios. Alguns deles são:

  • Redução no tempo de recuperação de doenças;
  • Melhoria no sistema imunológico;
  • Auxílio no metabolismo;
  • Combate aos radicais livres e melhoria na reparação celular;
  • Otimização das medicações utilizadas em outros tratamentos

Em quais casos é indicado o tratamento ortomolecular?

A nutrição ortomolecular não possui restrições ou contra indicações, sendo que qualquer pessoa pode utilizar a dieta. No entanto, a avaliação deve ser feita de maneira personalizada, com o objetivo de respeitar as restrições e características individuais.

Não há também nenhuma restrição quanto à idade para iniciar o tratamento, isso porque quanto mais cedo, mais chances de identificar possíveis problemas.

Com uma dieta desse tipo, é possível identificar precocemente o estresse oxidativo das células e compreender que influências externas impactam na saúde do indivíduo.

Por isso é tão necessário a avaliação e tratamento individualizados, considerando as necessidades específicas da pessoa.

Assim é possível suplementar e ajustar os nutrientes em excesso ou que ainda faltam no organismo, oferecendo ao corpo tudo o que ele precisa na dose certa.

Quais alimentos são permitidos e quais não são?

Diante disso, alguns alimentos se mostram mais positivos que outros, visto que muitos deles são fontes de substâncias nocivas à nossa saúde.

Com isso, uma alimentação saudável e balanceada deve se basear muito mais nos alimentos orgânicos, em detrimento dos industrializados.

Alimentos Permitidos

Entre os alimentos permitidos, estão as frutas e verduras orgânicas, que são ótimas fontes de proteínas, carboidratos, vitaminas, minerais e gorduras.

Ainda é possível incluir na dieta proteína animal, desde que livre de conservantes, assim como a farinha integral.

Alimentos Proibidos

Por outro lado, alguns alimentos costumam receber alguns cortes dentro da dieta, como leite, manteiga ou margarina.

Além disso, os produtos industrializados, açúcares, álcool e carnes vermelhas também são geralmente cortados da dieta.

Etapas do acompanhamento em nutrição ortomolecular

Para colher os benefícios da nutrição ortomolecular, o tratamento deve ser feito em algumas etapas, seguindo esta lógica:

Início

Com o objetivo de garantir o tratamento individualizado, o início será pela anamnese e históricos de vida e doenças do paciente.

Para ser o mais amplo possível, o profissional deve observar as reclamações do paciente, que mesmo simples podem identificar sintomas iniciais de um problema maior.

Somente com isso o nutricionista será capaz de levantar as hipóteses do diagnóstico de forma precoce, contribuindo com a prevenção.

Exames complementares

Depois disso, é necessário avaliar alguns exames complementares, que incluem não apenas as doenças do paciente, mas também outras áreas que podem estar relacionadas.

O estresse oxidativo, por exemplo, é um marcador importante da nutrição ortomolecular, assim como os antioxidantes.

Entre os exames mais comuns estão os de:

  • Sangue;
  • Fezes e urina;
  • Imagem, como ultrassom, tomografia e outros;
  • Bioimpedância, que avaliação a composição corporal;
  • Mineralograma capilar, conhecido como exame do fio de cabelo.

Prescrição do tratamento

Com todas essas etapas anteriores realizadas, é hora de prescrever o tratamento, indicando quais são os nutrientes que precisam de suporte.

Por sua vez, esse suporte será proporcionado por meio de uma alimentação balanceada e com a ajuda de alguns suplementos.

Com isso, são considerados minerais, vitaminas, aminoácidos e outras substâncias que atuam como antioxidantes e aumentam o rendimento metabólico.

Com um metabolismo melhor, é possível otimizar o uso de medicações no tratamento das doenças já instaladas no corpo.

Assim, é possível melhorar o desempenho das células, oferecendo melhores condições de produção de energia e novas substâncias estruturais.

Além disso, um bom metabolismo ajuda a controlar a produção de radicais livres, auxilia na reparação das células e fortalece a imunidade.

Dieta ou nutrição ortomolecular?

Nutrição, dieta, terapia ou medicina ortomolecular são expressões comuns dentro desse universo, mas ambos se referem ao ramo alternativo da medicina.

Isso acontece porque um dos princípios da nutrição ortomolecular é que qualquer tipo de problema pode surgir com o desequilíbrio bioquímico do organismo.

Ou seja, a nossa alimentação tem um papel importante na regulação das funções vitais do organismo.

Portanto, caso aconteça algum desequilíbrio, a nutrição ortomolecular auxilia na identificação e suplementação desses desníveis nutricionais, fortalecendo o corpo e protegendo as suas funções.

Benefícios da terapia ortomolecular

Vivemos em um mundo altamente industrializado e com diversos impactos diretos e indiretos na nossa saúde.

Em contrapartida, mesmo que ainda não exista uma regulamentação específica para a atuação da nutrição ortomolecular, o número de médicos com essa visão só aumenta.

Acontece isso porque esse ramo da medicina tem muitas comprovações a respeito da sua eficácia na correção dos desequilíbrios orgânicos ou psíquicos.

Além disso, auxilia no fortalecimento do sistema imunológico e na proteção das funções celulares, muito importantes nos cenários de surgimento de doenças.

Nutrição ortomolecular e Ozonioterapia

A nutrição ortomolecular é uma maneira de complementar outros tratamentos, assim como também pode ser aliada a outras terapias complementares.

Nesse contexto, a Ozonioterapia pode ser ideal para fornecer condições adequadas à recuperação do corpo diante de inúmeras patologias.

Isso porque o ozônio medicinal atua no estresse oxidativo, que é um marcador da medicina ortomolecular muito importante.

Além disso, também atua na oxigenação das células e na circulação periférica, contando com propriedades antissépticas e anti-inflamatórias.

Benefícios do tratamento ortomolecular com ozonioterapia

Com a utilização dessas duas importantes áreas da saúde, é possível obter benefícios de forma muito mais ampla.

Um dos pontos em comum entre as duas terapias é o tempo de recuperação de doenças, que passa a ser muito menor.

Além disso, o rendimento metabólico e o aumento do desempenho celular também são características em comum, assim como:

  • Otimização do efeito de medicamentos;
  • Melhoria do sistema imunológico;
  • Aumento da capacidade de reparação celular;
  • Estímulo à produção de substâncias estruturais.

O ozônio possui destaque contra inflamações crônicas, sendo capaz de reduzir a dosagem dos medicamentos utilizados para os tratamentos convencionais.

Assim como ele, a medicina ortomolecular também auxilia na redução dessas substâncias sintéticas, além de diminuir os efeitos colaterais e danos secundários dessas medicações.

Acompanhe o nosso blog para novas atualizações

Percebeu os inúmeros benefícios que você pode obter com o tratamento ortomolecular?

Essa prática complementar, assim como a ozonioterapia, é cada vez mais vista como ótima aliada no equilíbrio interno do organismo.

É possível não apenas cuidar internamente do nosso corpo, mas diminuir consideravelmente o risco de desenvolver doenças.

Se você quiser receber mais conteúdos interessantes como esse, fique atento às atualizações do nosso blog Saúde com Ozônio e, também, no blog do Dr. Ozônio.

Comentários

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *